Câncer pode estar relacionado com obesidade

Câncer pode estar relacionado com obesidade

Um estudo do INCA revelou que o excesso de peso corporal está fortemente associado ao risco de desenvolver 13 tipos de câncer; oncologista da Oncoradium de Imperatriz faz alerta.

Uma pesquisa apontou que os brasileiros atingiram o maior índice de obesidade dos últimos 13 anos. A pesquisa de 2018 foi divulgada pela Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), do Ministério da Saúde. No período, a obesidade saiu de 11,8% em 2006 para 19,8% em 2018.

O número é preocupante, pois, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a obesidade, sobrepeso e o ganho de peso na fase adulta são fatores de risco para 13 tipos de câncer: esôfago, estômago, pâncreas, vesícula biliar, fígado, intestino, rins, mama, ovário, endométrio, meningioma, tireoide e mieloma múltiplo. Há também possível associação aos cânceres de próstata e linfoma difuso de grandes células B.

Hábitos saudáveis

De acordo com o médico da Oncoradium de Imperatriz, Jorge Lyra, ter hábitos saudáveis de vida e regular o peso corporal é uma das principais formas de se prevenir do câncer e outras doenças.

“A medida é simples e acessível para todos: mais verduras, frutas, legumes, grãos e fibras na alimentação diária e menos comidas processadas, ultra processadas, açúcares e gorduras. Mas também é preciso associar tudo isso à prática regular de atividades físicas. Somamos, ainda, a visita regular ao médico”, destaca.

A pesquisa do Vigitel mostra ainda que apesar de o excesso de peso ser mais comuns entre os homens em números absolutos, as mulheres apresentam índice maior, com 20,7% contra 18,7% dos homens. Mais da metade da população brasileira, 55,7%, tem excesso de peso. O aumento foi de 30,8% comparado a 2006.

Prevenção

Já um estudo divulgado pelo Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP estima que pelo menos 15 mil casos de câncer por ano no Brasil (3,8% do total) poderiam ser evitados com a redução do excesso de peso.

“Mas não é só o câncer. A obesidade também está diretamente ligada a problemas cardíacos e diabetes”, lembra Dr. Jorge.

Crescimento nos casos

A pesquisa da USP apontou também que, até 2025, o número de diagnósticos de doenças relacionadas à obesidade pode crescer em até 4,6%.

“Entre os tipos de câncer que podem surgir por causa da obesidade, o mais comum é o de mama. No caso das mulheres, além do exame da mamografia, é preciso ter muito controle sobre o ganho de peso. Outros tipos também possuem relações com a obesidade, como é o caso do colo do útero e esôfago”, finaliza o médico.

Foto: maximoravenna.com.br

Texto: Singular Ascom

Sobre o Autor

Cárita Bezerra administrator

Deixe uma resposta