Categoria Releases

Hábitos do dia a dia são responsáveis por 70% da radiação solar recebida pelo ser humano

Durante o nosso “Verão”, a atenção precisa ser redobrada para prevenir o câncer de pele

Conforme manda a tradição de todos os anos, a meteorologia promete tempo seco, sol forte e céu com poucas nuvens na região sul do Maranhão pelo menos até setembro. O conhecido Verão da nossa região chegou e com ele o aumento da exposição ao sol nas piscinas, balneários e praias de água doce, mesmo em tempos de pandemia.

Mas o perigo maior está em outro contexto: os hábitos diários das pessoas. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), eles são responsáveis por 70% da radiação que o ser humano recebe ao longo da vida.

Olha o risco!

Todo este cenário, se não houver a proteção adequada, gera riscos para o desenvolvimento do câncer de pele, um dos poucos tipos que qualquer pessoa pode desenvolver.

O médico oncologista Jorge Lyra, da Oncoradium Imperatriz, centro especializado no tratamento do câncer nas redes pública e privada, lembra que a prevenção é o único caminho.

“O protetor solar com FPS mínimo de 30 tem que ser usado todos os dias, até mesmo se estiver nublado. Pessoas que trabalham ao ar livre ainda precisam reforçar a proteção com roupas de manga comprida, de preferência com a barreira ultra-violeta”.

Óculos e chapéus também são adereços necessários. Se tiverem proteção UV, melhor ainda. 

O câncer de pele

De maneira geral, há dois tipos: não-melanoma e o melanoma. O primeiro é o mais frequente, maligno, mas, se diagnosticado precocemente, tem alta taxa de cura.

“O perigo maior está no melanoma, que é mais raro, só que mais letal. Ele também é mais agressivo, porque tem a capacidade de gerar metástase para outros órgãos de origem precoce.”, alerta Dr. Jorge.

Dados que preocupam

Segundo o Instituto Nacional do Câncer – INCA, o câncer de pele é o mais incidente na população brasileira e representa 30% dos tumores malignos diagnosticados.

E de acordo com a SBD, 33 mil pessoas morreram da doença no país entre 2008 e 2017. Já entre 2013 e 2019, 77 mil brasileiros desenvolveram o câncer de pele.

Anote para não esquecer

Além do uso frequente do protetor e a renovação a cada duas horas, quem for frequentar piscinas, balneários e rios tem que passar o filtro novamente sempre que se molhar, ingerir muita água e ficar abrigado o máximo de tempo possível debaixo de tendas ou barracas.

Foto: https://www.nacaojuridica.com.br/

Oncoradium assume o serviço de radioterapia do Hospital Regional de Araguaína

A gestão teve início neste dia 16 de julho. A rede é especializada em tratamentos oncológicos em vários estados das regiões norte e nordeste

A partir deste 16 de julho, o serviço de radioterapia da unidade de tratamento oncológico do Hospital Regional de Araguaína (HRA) será gerido pela empresa Oncoradium, que venceu a licitação para gestão do serviço, e que desde 2015 já administra o centro de serviço ambulatorial (consultas), quimioterapia e cirurgias.

O atendimento acontecerá de segunda à sexta, das 7 às 17 horas. Neste período de pandemia, os pacientes serão recebidos com hora marcada para evitar aglomerações, conforme explica Janaína Nasser, diretora de Operações da Rede Oncoradium.

“Trabalharemos para dar o máximo de fluxo possível aos atendimentos, respeitando todas as regras de distanciamento social e as características de cada tratamento”.

A unidade conta atualmente com um acelerador linear (radioterapia) e tem capacidade de atendimento de 80 pacientes por dia. A equipe profissional será composta de dois médicos radioterapeutas, equipe de física médica, equipe de enfermagem e assistência social.

Referência

Evandro de Araújo Júnior, diretor geral da Rede Oncoradium, ressalta que o reinício dos serviços de radioterapia mostra, mais uma vez, que Araguaína é um centro de saúde de referência para todo o Tocantins.

“O mais importante é que muitos pacientes não vão mais precisar se deslocar para outras cidades para dar continuidade aos tratamentos. Isso representa um ganho de qualidade, é poder estar perto da família. Araguaína é pioneira no tratamento contra o câncer no Tocantins e, a partir do trabalho conjunto com a equipe da Secretaria de Saúde do Estado e regulação, pretendemos, além da retomada da radioterapia, ofertar também a biópsia para os casos suspeitos

A Oncoradium

A rede, fundada em 2010, é especializada em tratamentos contra o câncer com unidades nas regiões norte e nordeste. Em processo de expansão, a Oncoradium tem como foco descentralizar o atendimento oncológico, criando centros especializados em várias regiões polos nos estados.

Ser humano recebe 70% da radiação solar durante os hábitos do dia a dia

O câncer de pele é o maior risco para quem se expõe sem proteção ao sol 

Apesar de, oficialmente, o Brasil estar no período de inverno, várias regiões do país, entre elas o meio-norte do Maranhão, vivenciam um verdadeiro verão, com tempo seco, céu limpo e sol forte. E mesmo neste período de pandemia, a exposição aos raios solares aumenta muito por causa do fluxo de pessoas nas piscinas, balneários e praias de água doce.

Só que o perigo está em outro cenário: 70% da radiação solar recebida pelo ser humano ao longo da vida acontece durante as rotinas diárias de deslocamento para o trabalho, escola, faculdades, compras e demais afazeres ao ar livre, de acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

O perigo do câncer de pele

E é aí que acende-se o alerta para o risco do câncer de pele, um dos tipos que qualquer pessoa pode desenvolver se não adotar medidas de proteção e prevenção.

O médico e cirurgião oncológico, Leoberth Silva Araújo, da Oncoradium Caxias, centro responsável pelo tratamento público contra o câncer no Hospital Macrorregional, explica que o comportamento preventivo é o único caminho.

“Mesmo durante a pandemia e a quarentena, muitas pessoas mantiveram suas rotinas, por isso o uso do protetor solar com fator de proteção mínimo de 15 é obrigatório. Se a pessoa suar muito, é preciso renovar a cada duas horas. Mas, de toda forma, a orientação é renovar a camada de filtro a cada três horas, no máximo”.

Para quem trabalha o tempo todo ao ar livre – motoristas, construção civil, entre outros, a recomendação é usar também camisetas de manga comprida com proteção UV (ultravioleta), chapéus e óculos de sol (se possível, também com a barreira UV).

Os tipos

O câncer de pele pode ser classificado em dois tipos mais comuns: não-melanoma e melanoma.

O não-melanoma é o mais incidente, tem letalidade baixa e altas chances de cura se diagnosticado precocemente.

“O alerta maior está no tipo melanoma, que é mais raro, porém mais letal e agressivo, porque tem a capacidade de invadir outros órgãos”, informa Dr. Leoberth.

Dados que preocupam

Segundo o Instituto Nacional do Câncer – INCA, o câncer de pele é o mais incidente na população brasileira e representa 30% dos tumores malignos diagnosticados.

E de acordo com a SBD, 33 mil pessoas morreram da doença no país entre 2008 e 2017. Já entre 2013 e 2019, 77 mil brasileiros desenvolveram o câncer de pele.

Anote para não esquecer

Além do uso frequente do protetor e a renovação a cada duas horas, quem for frequentar piscinas, balneários e rios tem que passar o filtro novamente sempre que se molhar, ingerir muita água e ficar abrigado o máximo de tempo possível debaixo de tendas ou barracas.

Imagem: https://live.staticflickr.com/

Campanha “Adote uma Enfermaria” do Hospital Municipal de Araguaína já arrecadou mais de R$ 11 mil

O recurso total estimado em R$ 600 mil  será usado para aquisição de equipamentos, reformas e transformação de enfermarias

A sociedade araguainense tem mostrado sua força e solidariedade junto à campanha “Adote uma Enfermaria”, do Hospital Municipal de Araguaína (HMA), unidade gerida pelo Instituto Saúde e Cidadania – ISAC. 

Nos primeiros 15 dias de arrecadação, a “vaquinha” online recebeu mais de R$ 11 mil em doação. O projeto tem como objetivo arrecadar cerca de R$ 600 mil em fundos para aquisição de equipamentos, reformulação de espaços, investimento em novos leitos, troca de pisos, janelas e pintura de paredes e o teto, além de transformar as enfermarias em espaços mais humanizados e acessíveis para a população.

O Grupo J.Demito, composto pelas empresas Caltins, Natical, Minerax, Supercal, Top Log e JD Sports, doou R$ 10mil para a causa. Em uma publicação nas redes sociais, a empresa cita que “enquanto estende uma mão para transformar as colheitas no campo, estende a outra mão para auxiliar nas causas mais nobres”.

O ISAC também fez a sua doação para a campanha, valor esse que está além do orçamento mensal recebido do poder público para gerir as unidades de saúde. 

“Hoje, os 61 leitos do HMA atendem os pacientes adequadamente, mas nossa missão é ir além e criar espaços ainda mais cômodos e confortáveis, com opções de entretenimento para os pacientes infantis, ambientes mais lúdicos e acessíveis”, enfatiza o gerente de Assistência e Qualidade do ISAC, Vinícius Menezes.

A campanha continua

O HMA continua recebendo as contribuições por meio da “vakinha” online.

É preciso acessar o link http://vaka.me/1059289 e fazer uma doação de qualquer valor.

Toda a arrecadação e aplicação dos recursos será auditada para dar transparência ao processo. 

70% da radiação solar recebida pelo ser humano vem dos hábitos diários

Por isso os cuidados precisam ser redobrados para prevenir o câncer de pele, o mais incidente no país

O verão tocantinense chegou e até o fim de setembro a promessa da meteorologia é de muito sol, céu limpo e tempo seco. Mesmo com a pandemia, muita gente aumenta o tempo de exposição solar nas piscinas, balneários e até nas praias de água doce. Mas a atenção precisa ser dada para outro cenário: os hábitos do dia a dia.

Eles são responsáveis por 70% da radiação solar recebida pelo ser humano, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia.

“Estamos falando dos deslocamentos para o trabalho, compras e demais afazeres pessoais como exercício físico ao ar livre, situações em que a pele transpira excessivamente e demanda uma troca repetida do protetor solar. Claro que, nesse período de quarentena, essa exposição diminuiu, mas muitas pessoas mantiveram sua rotina normal e o cuidado tem que ser redobrado”, informa Macilon Irene, médico oncologista da Oncoradium, centro responsável pelo tratamento contra o câncer no Hospital Regional de Araguaína.

Crie uma nova rotina

Mesmo quando estiver nublado, o que é raro por esses tempos, a recomendação é usar protetor solar com FPS mínimo de 30. A reaplicação padrão do protetor solar deve ser feita de três em três horas, mas esse intervalo diminui (de 2 em 2 horas) em casos de transpiração excessiva, exposição solar prolongada ou após sair da água.

Para os profissionais que trabalham de moto, bicicleta ou ao ar livre, a orientação é usar também roupas de manga comprida com proteção UV, além de chapéus e óculos, também com barreira aos raios ultravioletas.

Câncer de pele

Este tipo de câncer, que é o mais incidente em nossa população, está relacionado, na maioria das vezes, com o estilo de vida, ou seja, qualquer pessoa terá maior chance de desenvolver se não se proteger da exposição contínua e prolongada dos raios solares.

Evitar a exposição excessiva ao sol e proteger a pele dos efeitos da radiação UV são as melhores estratégias para prevenir o melanoma e outros tipos de tumores cutâneos.

O oncologista Marcilon explica que há dois tipos: o não-melanoma e o melanoma.

“O tipo mais comum, o câncer da pele não melanoma, tem letalidade baixa, porém seus números são muito altos. Contudo, ele tem altas chances de cura se for detectado de forma precoce. Já o segundo, o melanoma, é bem mais agressivo, com alta taxa de letalidade e tem também a capacidade de se espalhar para outros órgãos”.

Dados preocupantes

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, entre 2013 e 2019, cerca de 77 mil pessoas foram diagnosticadas com câncer de pele no país. Já entre 2008 e 2017, 33 mil brasileiros morreram em decorrência da doença.

O câncer da pele responde por 33% de todos os diagnósticos desta doença no Brasil, sendo que o Instituto Nacional do Câncer (INCA) registra, a cada ano, cerca de 180 mil novos casos.

Nunca é demais lembrar

Além do uso de protetor e demais métodos de bloqueio dos raios solares (chapéu, roupas, óculos de sol, etc.), as recomendações incluem evitar a exposição solar entre as 10 e 16 horas, ingestão frequente de água e, para aqueles que frequentarão piscinas, praias e balneários, é importante renovar o protetor sempre que se molhar e ficar abrigado embaixo de barracas ou tendas.

Imagem: https://www.royalmaquinas.com.br/

Verão é tempo de prevenção ao câncer de pele

Mais de 1500 casos de câncer de pele devem ser registrados em 2020, no Estado; especialista dá dicas sobre como se expor ao sol com segurança

Com a chegada do mês de julho, quando muitas pessoas aproveitam para viajar em lugares que têm praia, as velhas e eficazes regras de todos os anos com relação à exposição solar devem ser seguidas. Isso porque o câncer de pele acontece pelo excesso de exposição aos raios ultravioletas. 

Segundo a oncologista clínica, Maryana Feliciano, este ano o Tocantins deve somar mais de 1500 casos de câncer de pele, entre não melanoma e melanoma, segundo o INCA. 

“É um número expressivo, sabendo que a prevenção a esse tipo de câncer é acessível. O uso de protetor solar e barreiras físicas para conter a exposição ao sol não devem ser lembrados apenas quando forem às praias, mas em todas as situações diárias de atividades externas, inclusive em dias nublados”  enfatiza a especialista.

Pessoas de pele clara  são mais sensíveis a ação do sol, além disso, quem tem histórico familiar da doença deve redobrar cuidados. 

Principais sintomas

O câncer de pele tem sintomas aparentes como pintas, manchas e sinais que devem ser observados na rotina diária.

“Manchas repentinas ou que mudem de textura e cor, pintas que aumentam de tamanho ou que tenham sangramentos, devem ser pontos de alerta”. Maryana também ressalta que o diagnóstico precoce aumenta as chances de cura.

Verão combina com prevenção

As regrinhas básicas valem para todos os anos: 

  • Evitar exposição solar das 10:00 às 16:00 horas;
  • Use chapéu, boné, filtro solar, roupas com proteção UV e AVA, óculos com lentes protegidas, além de muita hidratação com água e sucos naturais.

A especialista reitera que o protetor solar deve ser passado e reforçado sempre que necessário. “O filtro solar deve ser aplicado a cada três ou quatro horas em dias normais e a cada duas horas em dias de exposição ao sol. Orelhas e nuca merecem um cuidado especial, especialmente nos homens ou em pessoas com cabelo mais curto, ralo ou claro”.

Além disso, a boca e os lábios também necessitam ser lembrados para evitar manchas e rugas precoces. No entorno da boca, deve-se aplicar o filtro, enquanto nos lábios, pode-se usar hidratantes labiais ou batons com FPS.

As mãos e pés são áreas bastante expostas e também negligenciadas. As mãos, especialmente, sofrem bastante com o aparecimento de rugas e manchas, que pode ser retardado com o uso da fotoproteção. 

Queimadas são gatilhos para piora de problemas respiratórios

Pacientes com doenças respiratórias crônicas ou que estão com problemas respiratórios agudos, são diretamente afetados pelas queimadas

As frequentes queimadas e o tempo seco no Tocantins contribuem para o aumento dos problemas respiratórios ou o desencadeamento de crises respiratórias nos pacientes com problemas crônicos. A fumaça de uma queimada é um elemento tóxico porque tem uma mistura de compostos químicos que invadem nosso corpo.

“São partículas de vários tamanhos, as maiores são filtradas pelo nariz, pelas vibrissas, que são os pelos na entrada do nariz e pela mucosa que reveste o nariz, mas as partículas menores alcançam os alvéolos pulmonares e corrente sanguínea”, considera o médico Otorrinolaringologista, Daniel Nunes. 

Consequências

Segundo Daniel, a lista de problemas provocados pela inalação da fumaça de queimadas é enorme. São consequências como dor e ardência na garganta, rouquidão, dor de cabeça, tosse seca, cansaço, falta de ar, dificuldade para respirar, vermelhidão nos olhos e lacrimejamento.

O Otorrino destaca que alguns casos podem responder de forma mais graves. “Isso depende do tempo em contato com a fumaça e do histórico da paciente. A fumaça pode causar o agravamento dos quadros das pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus, quadros de rinite, asma, bronquite e Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica”.

Cuidados

Geralmente, crianças e idosos são mais sensíveis e sofrem mais nessa época do ano. Por isso, os cuidados são fundamentais. 

“Mantenha uma boa hidratação, principalmente, idosos maiores de 65 anos e crianças menores de 5 anos.  Os ambientes em casa deve estar umidificados. Hidratar as vias respiratórias também ajuda bastante. E, sempre que avistar uma queimada, se mantenha longe ou tente sair das proximidades do foco de incêndio para não inalar fumaça”, finaliza. 

Ajude a denunciar

Em Araguaína, a legislação proíbe as queimadas nas vias públicas e imóveis urbanos, públicos ou particulares, além da queimada em terrenos marginais de rodovias, rios, de lagos ou de matas de quaisquer espécies. A denúncia pode ser feita para a Secretaria Municipal do Meio Ambiente pelo telefone (63) 99944 7878. 

 

Primeiro tratamento odontológico para prevenção de Endocardite Bacteriana infantil foi realizado no HMA

O procedimento inovador na unidade contemplou um paciente de 4 anos de idade com problemas cardíacos

Os profissionais do Hospital Municipal de Araguaína – HMA realizaram o primeiro tratamento odontológico de ART para prevenção de Endocardite Bacteriana em um paciente infantil.  ART é a sigla em inglês para Tratamento Restaurador Atraumático, uma técnica que restaura os dentes atingidos pela cárie dental utilizando somente instrumentos manuais, ou seja, sem o uso de brocas ou turbinas.

O paciente foi uma criança de 4 anos, com problemas cardíacos, e que apresentou cáries múltiplas nos quatro elementos decíduos anteriores (dentes que são trocados naturalmente entre 7 e 8 anos), comprometendo a estética, função, fonação, autoestima e gerando foco para infecção bacteriana.

Simples, barato e fundamental

O procedimento de Odontologia Hospitalar é inovador no HMA e uma iniciativa a mais além do tratamento convencional já oferecido ao paciente. Simples e de baixo custo, a intervenção odontológica é fundamental para assegurar a saúde de pacientes cardíacos.

A odontóloga hospitalar do HMA, Dra. Marlei Pires, destacou a satisfação por ser uma das responsáveis por restabelecer a autoestima do paciente, devolvendo conforto e bem-estar. Ela explicou que, devido ao problema cardíaco, as cáries eram um fator de risco para saúde da criança.

“Ficamos muito preocupados com o risco de Endocardite Bacteriana, por isso optei pela ART, confeccionei as coroinhas de ionômero de vidro, visto que a criança tinha indicação para tal procedimento. Foi um tratamento de grande eficácia em dentes de leite e com baixo custo”, enfatizou.

Envolvimento multiprofissional

O procedimento só foi possível graças ao apoio do coordenador da UTI Pediátrica, Dr. Márcio Miranda Brito, ao qual a Dra. Marlei agradeceu pela confiança. O tratamento teve ainda a participação da fisioterapeuta Tálita Vanessa e da equipe de enfermagem do hospital.

“É  preciso amor pra tudo dar certo  e não estar sozinho. A equipe multidisciplinar é muito boa e empenhados para que tudo funcione.O paciente já teve alta e foi encaminhado ao serviço odontológico de sua cidade de origem”, completou a dentista.

A doença

A Endocardite Bacteriana é uma inflamação da membrana interna do coração e suas válvulas. Considerada uma doença grave, ela é causada por agentes infecciosos (bactérias) que invadem o sangue e podem ser originários de várias partes do corpo, principalmente da boca.

 Tratamento Ondotológico HMA (1) Tratamento Ondotológico HMA (2)

 

Hospital Municipal de Araguaína lança a campanha “Adote uma Enfermaria”

O projeto pretende angariar fundos para transformar as enfermarias em espaços mais humanizados e acessíveis para a população

Em 2019, o Instituto Saúde e Cidadania – ISAC, responsável pela gestão do Hospital Municipal de Araguaína, iniciou, de maneira piloto, a campanha “Adote uma Enfermaria” destinada a empresas locais para angariar recursos para a reforma, aquisição de equipamentos e humanização das enfermarias da unidade.

O primeiro parceiro foi o próprio ISAC, que destinou recursos (além do orçamento mensal recebido do poder público) para reformular um dos espaços, investindo em novos leitos (4), ar-condicionado, a troca de pisos, janelas e pintura de paredes e o teto. A reforma está em andamento.

“Hoje, os 61 leitos do HMA atendem os pacientes adequadamente, mas nossa missão é ir além e criar espaços ainda mais cômodos e confortáveis, com opções de entretenimento para os pacientes infantis, ambientes mais lúdicos e acessíveis”, explica o gerente de Assistência e Qualidade do ISAC, Vinícius Menezes.

“Com a campanha Adote uma Enfermaria poderemos oferecer uma estrutura física mais confortável, humanizada, acelerando o processo de recuperação das crianças por meio dos efeitos do brincar na subjetividade da criança hospitalizada”, completa Márcio Brito, diretor técnico e médico do HMA.

Como doar

A campanha “Adote uma Enfermaria” foi retomada em 2020 e estendida para a contribuição da sociedade. A principal forma de contribuição é pela “vaquinha” online criada para receber os recursos. 

Por meio do link http://vaka.me/1059289, o voluntário faz a doação de qualquer valor em dinheiro.

Toda a arrecadação e aplicação dos recursos será auditada para dar transparência ao processo. A meta é alcançar R$ 600 mil para renovar mais enfermarias, trocar o piso, melhorar a acessibilidade, climatização, camas Fawler, entretenimento, entre outros, 

“Estamos focados na humanização das enfermarias e renovar o parque tecnológico para dar suporte e qualidade na assistência”, ressalta Maria Dulcimary Fonseca, diretora geral do hospital.

“Nós queremos transformar o HMA em um hospital modelo, um espaço humanizado e totalmente preparado para receber pacientes infantis de todo o Tocantins. Hoje conseguimos atender com muita qualidade, mas nosso desejo é ir além e para isso contamos com o apoio dos nossos cidadãos e empresas”, completa Vinícius.

O HMA

Com recursos públicos federais, estaduais e principalmente municipais, o Hospital Municipal de Araguaína oferta os serviços de UTI Pediátrica, internação pediátrica, cirurgias pediátricas eletivas e de urgência/emergência e, em 27 de setembro de 2019, a unidade realizou as primeiras cirurgias cardíacas infantis congênitas no estado. Com esse feito, o Tocantins passou a ser um dos poucos estados a realizar cirurgias cardíacas pediátrica no país, que são considerados de alta complexidade.

A unidade é gerida pelo Instituto Saúde e Cidadania – ISAC com 11 enfermarias e 61 leitos: 28 de enfermarias clínicas, 10 de enfermarias cirúrgicas, sete de enfermaria de isolamento, seis de estabilização e 10 de UTI. A unidade recebe pacientes encaminhados da Unidade de Pronto Atendimento Anatólio Dias Carneiro – UPA 24 horas e de outras cidades pactuadas com o Município.

 Adote uma Enfermaria (2) Adote uma Enfermaria (3)

 

Doações de sangue no Hemomar de Caxias caíram 40% nos últimos meses

A preocupação está no atendimento às cirurgias de emergência e tratamentos contra o câncer, que podem demandar transfusões

Mesmo durante a pandemia, quando o isolamento social reduz o fluxo de pessoas nas ruas, as cirurgias de emergência e alguns tratamentos, como os contra o câncer, continuam demandando transfusões sanguíneas. É por isso que as doações de sangue precisam continuar ativas.

Carlos Eduardo Sá, médico oncologista da Oncoradium, centro responsável pelo tratamento oncológico no Hospital Macrorregional de Caxias, explica que muitos pacientes podem precisar das doações para continuar o tratamento.

“A transfusão sanguínea é essencial quando o paciente, durante quimioterapia, desenvolve uma anemia severa. E, nestes casos, sem a transfusão, o tratamento não tem como continuar”.

Em outras situações, o sangue também é necessário, quando, por exemplo, há tumores sólidos que provocam hemorragias nos pacientes. Os cânceres sanguíneos, como o linfoma, e o mieloma múltiplo, dependendo da situação, também podem demandar a transfusão.

Hemomar de Caxias

Segundo Vivianne Rodrigues Carvalho, diretora do Hemonúcleo de Caxias, a redução nas doações nos últimos meses chegou a 40%.

“O ideal, para nós, seria pelo menos 20 doações diárias, para suprirmos as necessidades de toda nossa região, que demanda uma média de 450 bolsas por mês. Mas estamos conseguindo coletar menos da metade disso”, conta.

A diretora lembra que a rede hospitalar de Caxias é muito grande, com unidades particulares, municipais, estaduais, clínicas e a hemodiálise, e todas dependem do Hemomar.

Por isso, para garantir ainda mais segurança e atrair os doadores, o hemonúcleo adaptou os atendimentos durante a pandemia.

“Estamos agendando as doações para evitar aglomerações, estamos praticando o distanciamento entre os doadores, o constante uso de EPIs específicos por parte dos servidores e álcool em gel disponibilizado em vários locais”, ressalta Viviane.

Os agendamentos podem ser feitos pelo telefone (99) 98817-8761.

Imagem: https://www.acessa.com/