Março Lilás: chances de cura do câncer do colo do útero podem chegar a 100%

Março Lilás: chances de cura do câncer do colo do útero podem chegar a 100%

O exame Papanicolau é a forma mais eficiente de descobrir a doença

Conscientizar as mulheres a realizarem o exame Papanicolau frequentemente é uma das principais metas da Campanha Março Lilás, mês alusivo ao combate ao câncer do colo do útero.

No Tocantins, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a estimativa para 2020 é de 220 novos casos da doença. Até 2019, foi o tipo de câncer mais frequente entre as mulheres no Estado. Caso a doença seja identificada na fase inicial, as chances de cura chegam a 100%.

Segundo o INCA, o câncer do colo do útero é causado pela infecção persistente por alguns tipos do Papilomavírus Humano – HPV. A infecção genital por esse vírus é muito frequente e não causa doença na maioria das vezes.

“Há uma alteração nas células que com o passar dos anos evolui para câncer. Esta alteração é descoberta com o exame preventivo, que se realizado rotineiramente, podemos diagnosticar precocemente estas lesões de risco, e assim serem tratadas antes de virar câncer” afirma a médica oncologista da Oncoradium, Dra. Ariana Luz.

Prevenção
O exame preventivo é o Papanicolau. Esse exame pode ser feito nas próprias Unidades Básicas de Saúde. Ele é indolor, simples e rápido.
“A fase inicial do câncer de colo de útero, geralmente, é assintomática. Quando os sintomas começam a aparecer, às vezes, o câncer já está em estágio avançado.  Por isso o rastreio é fundamental para o diagnóstico precoce., destaca a especialista.

A recomendação é que toda mulher faça o exame a partir da primeira relação sexual a cada 12 meses. Além disso, o uso de preservativo nas relações sexuais protege do risco de transmissão do HPV.

Existe também a vacina contra o HPV, que está disponível na rede pública de saúde. Ela é recomenda para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos.

Foto: Divulgação

Sobre o Autor

Equipe Singular editor

Deixe uma resposta