Arquivo de tag ACIARA

Hélida Dantas é eleita presidente da ACIARA para o biênio 2020-2021

Denílson Silva é o vice. O mandato da nova diretoria começa no dia 1º de janeiro de 2020

A empresária Hélida Dantas e o empresário Denílson Silva foram eleitos presidente e vice-presidente, respectivamente, da Associação Comercial e Industrial de Araguaína – ACIARA na eleição do último dia 26 de novembro. A nova diretoria faz parte da chapa única Inovação + Ação e vai ficar à frente da gestão no biênio 2020-2021.

Hélida é proprietária da rede de lojas Top Fama e está no mercado varejista há quase 30 anos.  A nova presidente destacou que a associação continuará fortalecendo a relação com as empresas associadas e trabalhará para manter a relevância das ações para Araguaína e Tocantins.

“Nosso interesse é em aproximar a ACIARA de seus associados e fazer com que a entidade represente realmente as demandas do empresariado. Nós já começamos o planejamento estratégico, nossas ações estão sendo levantadas e avaliadas. A princípio é entrar em contato com todos os associados e ver o que eles esperam da nossa associação. A ACIARA está em Araguaína, mas, em nível estadual, tem uma grande importância. Quando a ACIARA levanta uma bandeira, tem uma repercussão”, destaca a presidente eleita.

O vice-presidente eleito, Denilson Silva, proprietário das lojas Ten Ten, Decori e Decori Rústicos, também garantiu a proximidade da associação com a classe.

“Uma nova diretoria que está chegando e o grande objetivo é aproximar a ACIARA com os empresários. Esse será o nosso lema, trazer os empresários para a nossa associação para que todos possam ser beneficiados”, frisou.

Durante todo o dia de pleito, os associados foram presencialmente à sede da entidade para registrar o voto e escolher a nova diretoria. Quem exerceu o direito democrático foi a empresária Maria Lúcia Carneiro. “É importante termos essa representação. A ACIARA exerce um papel fundamental para ajudar os empreendedores da cidade”, pontuou.

O secretário chefe de gabinete da Prefeitura de Araguaína, Wagner Rodrigues, esteve presente na votação e parabenizou a nova diretoria.

“Quero parabenizar a Hélida pela eleição, a credibilidade e o lado empreendedora que ela carrega. A ACIARA tem uma representação para o norte do Tocantins, sul do Pará e sul do Maranhão. A entidade e os empresários são importantes para alavancar a economia do município de Araguaína”.

Conheça os membros da nova diretoria da ACIARA:

Diretoria Executiva

Hélida Dantas (presidente)

Denílson Silva (vice-presidente)

Dennys Evangelista da Rocha Barsch (1º Secretário)

Ulysses de Parente Ayres (2º Secretário)

Manoel de Assis Silva (1º Tesoureiro)

Elza Ferreira de Rezende (2ª tesoureira)

Diretoria de Projetos e Desenvolvimento e Parcerias

Eunice Ferreira Sousa Kuhn

Vilton Gomes de Sousa

Júlio Cesar de Oliveira Suplente

Diretoria de Eventos, Esporte, Lazer e Promoção

Márcio Alessandro Milfont Parente

Edvaldo Campelo Pinheiro

Roberto Paulino da Silva

Reginaldo Souza da Silva

Elke Adriana Bonamigo Sassi

Diretoria de Indústria

Carlos Gonzaga Martins Bringel

Joaquim Mota da Cruz

Maria Elieth José Antonio Lobo

Hemly Wonkruger Barsch

Diretoria de Apoio à Saúde

Renato Campos Freire

Ana Célia Santana Lima

Silvestre Júlio Souza da Silveira

Diretoria de Assuntos Jurídicos

Dearley Kuhn

Antônio de Pádua Marques

Diretoria de Comunicação e Imprensa

Wellington Rodrigues Fernandes

Carlos Alberto Carneiro da Silva

Joselson Rodrigues Santana

Diretoria de Comércio

Estevão Nascimento dos Santos

Antônio Neiva Silva Rego

Manoel Messias dos Santos

Rodrigo Mocó Bravo

Edvando Baldoino Bessa Suplente

Diretoria de Serviço de Proteção ao Crédito – SPC

José Alberto de Luna

Pedro de Sousa Benevides

João Francisco Albano Júnior

Diretoria de Assuntos Ambientais, Responsabilidade Social e Assuntos Públicos

Juliane Barbosa Costa Carneiro

William Rezende de Lemos

Eurico Marciano Oliveira Rocha

João Batista Barbosa Portilho

Diretoria da ACIARA Jovem

Jerfferson Patric da Silva

Alexandro Andrade Toledo

Pedro Henrique Alvarez P. Alcântara

Diretoria de Expansão e Desenvolvimento Associativo

Waldemir Luiz Ferrari Junior

Carlos Almeida de Paiva Junior

Valdeci de Araújo Nunes

Tomaz Araújo Vaz

Diretoria da Mulher Empreendedora

Antônia Lopes Gonçalves

Denize Cardoso dos Santos Pinhiero

Edvanda Barros de Siqueira Souza

Diretoria de Assuntos Econômicos e Tributários

Cláudia Teodoro Azevedo Rocha

Ronaldo Dias de Oliveira

Etienne Bertilla Acácio Gonçalves

Diretoria de Prestação de Serviços

Renye Costa Ferreira

Pedro Matos Coelho

Fábio Lopes de Almeida

Apuração dos votos Empresária Maria Lúcia Carneiro Hélida Dantas e Denilson Silva Nova Diretoria da ACIARA e membro da comissão eleitoral Nova Diretoria Executiva da ACIARA (Elza Ferreira, Dennys Evangelista, Hélida Dantas, Denilson Silva, Manoel de Assis e Ulisses Parente)

 

 

74% dos lojistas de Araguaína têm boas expectativas para as vendas de fim de ano

Pesquisa feita pela ACIARA com 145 empresas aponta que as principais estratégias serão promoções e divulgação

As empresas de Araguaína estão com boas expectativas para as vendas de fim de ano. Isso é o que revela uma pesquisa feita pela Associação Comercial e Industrial de Araguaína – ACIARA com 145 empresas da cidade nos ramos varejista, vestuário e de serviço.

90% dos entrevistados afirmaram que o Natal representa um impacto positivo na empresa e 74% consideram como excelente ou boa a expectativa para o aumento nas vendas comparado ao ano passado.

Promoções e divulgação em veículos de comunicação e redes sociais lideram as estratégias para aumentar as vendas: 45% e 26% respectivamente.

Período de grande movimento

O diretor de Comércio da ACIARA e proprietário da Loja Ten Ten, Denílson Silva, destaca que o período de fim de ano é o que tradicionalmente gera mais movimento nas lojas.

“O cenário econômico está bastante positivo, as empresas estão confiantes para esse período de vendas. Com a liberação de recursos do FGTS e o pagamento do 13º salário, por exemplo, os consumidores terão uma possibilidade a mais para comprar. Esperamos um Natal de muitas vendas”, afirma o diretor.

Promoções

Para atrair ainda mais os clientes, as empresas estão apostando em promoções. 45% delas garantiram que irão dar descontos nos produtos e serviços, como é o caso da Joju Modas, da Jordana Cunha.

“Nossas expectativas são que as vendas deste Natal sejam melhores que no ano passado. Estamos investindo em uma coleção linda para o final de ano e acreditamos no nosso comércio”, diz a empresária.

Poder de compra

Além de novas compras, os trabalhadores que receberão o 13º salário terão também a opção de quitar as dívidas e recuperar o crédito.

“Muitas lojas aproveitam para negociar os débitos e isso contribui para que o comércio fique ainda mais aquecido”, ressalta Denílson.

Campanha

Mantendo a tradição de fortalecer as vendas no comércio da cidade, a Associação Comercial e Industrial de Araguaína – ACIARA lançou a campanha “Fim de Ano Premiado”, que traz muitas novidades em relação às últimas edições, entre elas o prêmio principal: R$ 20 mil em barra de ouro.

As demais premiações incluem um Iphone XR, duas televisões de 40 polegadas e 3 kits com três bicicletas cada. Os vendedores das lojas participantes também vão concorrer a prêmios durante a campanha.

A ACIARA lançou um site exclusivo para a divulgação da campanha (www.fimdenopremiado.portalaciara.com). Nele o consumidor poderá conferir a lista completa dos prêmios, regulamento, cupons, como participar e lojas participantes. Já para o lojista, há um espaço onde constam as informações de como aderir à campanha.

Quem se cadastrar no site da campanha também poderá receber informações privilegiadas sobre as campanhas da ACIARA, e-books e artigos com conteúdos de como aumentar as vendas, acontecimentos do comércio de Araguaína e outros assuntos voltados ao setor comercial e industrial.

Foto: Marcos Filho Sandes / Ascom Prefeitura

ACIARA volta a cobrar a extinção da complementação de alíquota do ICMS

Em ofício ao Governo do Tocantins, entidade pede o fim da taxa ou a manutenção no desconto de 75%

A Associação Comercial e Industrial de Araguaína – ACIARA já iniciou as articulações para mais uma vez solicitar ao Governo do Estado do Tocantins o fim da complementação de alíquota do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias, Bens e Serviços (ICMS), cobrada das empresas optantes do Simples Nacional. No Tocantins, mais de 93 mil empresas são optantes do Simples Nacional ME e EPP.

A entidade já enviou ofício ao Executivo Estadual solicitando a extinção da taxa ou manutenção do desconto de 75%. Caso não haja acordo, o desconto cai para 50% já no dia 1º de janeiro de 2020.

Em novembro do ano passado, o governador Mauro Carlesse se reuniu com dirigentes de várias associações comerciais do Estado, entre elas a ACIARA, e disse que iria avaliar a possibilidade junto à equipe técnica da Secretaria da Fazenda.

Para a diretora da ACIARA, Antônia Lopes Gonçalves, o fim da complementação é fundamental para dar mais força para as empresas crescerem e investirem.

“Esta é uma luta que estamos travando desde 2015, quando estava previsto que o desconto sobre a cobrança cairia para 50%. Na prática, isso representaria um aumento de 100% na cobrança do imposto sobre o empresário. E é preciso lembrar que a complementação é paga no ato de compra da mercadoria, ou seja, o empresário nem sabe quando vai conseguir vender, mas já paga o imposto”, frisa.

Como funciona a complementação

A complementação de alíquota de ICMS é um imposto cobrado sobre produtos comprados fora do Estado e no ato da aquisição da mercadoria, antes mesmo do comerciante efetuar a venda. A taxa consiste na diferença entre o ICMS do Tocantins e do Estado de origem do produto.

Estudo

Um documento apresentado pelas entidades, ainda no ano passado, mostrou que, para o Governo, o impacto da manutenção no desconto de 75% representa um percentual de apenas 0,6% a menos na arrecadação do Estado.

“O Tocantins não é industrializado, então o empresário daqui não tem outra alternativa a não ser comprar as mercadorias de outros Estados. Mas ele acaba penalizado por isso. O fim da taxa não comprometeria a arrecadação do Tocantins com o ICMS, que cresce ano após ano, mas teria um impacto muito bom para a iniciativa privada”, conclui Antônia.

ACIARA mantém questionamentos sobre o Benefício Social

Entidade reforça que empresários não foram consultados sobre a obrigatoriedade, que se assemelha à contribuição sindical abolida na Reforma Trabalhista

Desde maio de 2018, a Associação Comercial e Industrial de Araguaína – ACIARA mobiliza seus associados e demais entidades representativas dos empresários do Tocantins a respeito da cobrança do Benefício Social, pago pelas empresas aos sindicatos e que a ACIARA considera ilegal.

Instituído na Convenção Coletiva de Trabalho, firmada entre a Federação do Comércio, Bens e Serviços do Tocantins (Fecomércio) e o Sindicato dos Empregados do Comércio do Estado do Tocantins (SECETO), o Benefício Social Familiar obriga as empresas a recolher, mensalmente, R$ 20,00 por cada colaborador empregado.

Questionamentos

A contribuição é questionada por 13 associações empresariais do Estado junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT), porque veem nela uma alternativa para a contribuição sindical, abolida pela Reforma Trabalhista.

Questões formais e legais foram questionadas em uma ação protocolada no Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região, em que a ACIARA reivindicou a anulação tanto da convenção coletiva firmada entre o SECETO e a Fecomércio, como também a anulação da cláusula da convenção que criou o chamado Benefício Social Familiar.

De acordo com a ACIARA, essa cláusula prevê que as empresas são obrigadas a pagar o valor mensal por trabalhador para uma empresa gerenciadora de um fundo. Essa empresa, sediada em Americana (SP), cobra uma taxa de administração e fornece alguns serviços, uma espécie de seguro contra eventualidades, como acidente, licença maternidade, doenças e morte.

Prejuízos às empresas

“Do valor arrecadado, desconta-se o valor da taxa de administração e do valor gasto com os prêmios de seguro pagos e o que sobre é rateado entre os sindicatos. Ou seja, no fundo, os sindicatos obrigaram as empresas a pagarem mais caro por um serviço que é oferecido por seguradoras de renome pela metade do preço para que possam custear suas atividades. Isso é muito perigoso, pois admitir algo dessa natureza demonstra que os sindicatos podem indicar um valor maior a cada convenção coletiva, podendo ficar sem limites”, pontua o assessor jurídico da ACIARA, Roger Sousa Kuhn.

Empresários não foram ouvidos

Tanto a ACIARA, quanto as demais associações e empresários, reclamam que não foram consultados na obrigatoriedade do benefício social.

“A ACIARA não tem tradição em enfrentar esse tipo de imposição judicialmente. Sempre a discussão foi pautada por diálogo, que muitas vezes foi oportunizado pelos sindicatos. Ocorre que, na última convenção, foi instituído essa obrigação sem qualquer aviso prévio às empresas, que foram pegas de surpresa. A ACIARA busca o diálogo com os sindicatos patronais e a própria Fecomércio”, afirma Roger Kuhn.

Foto: Marcos Filho / Ascom Prefeitura de Araguaína

Mutirão de limpeza do “Praia Limpa, Praia Viva” em Araguanã registra redução 60% no lixo recolhido

Voluntários fizeram uma varredura nas praias de Araguanã, Escapole e demais áreas de acampamento e recolheram cerca de duas toneladas de lixo

Com a participação de cerca de 50 voluntários, mais um mutirão do projeto Praia Limpa, Praia Viva foi realizado, desta vez nas praias do município de Araguanã, no norte do Tocantins. A ação aconteceu no último sábado (28) e foi realizada pela Associação Comercial e Industrial de Araguaína – ACIARA em parceria com a prefeitura local.

Apesar de recolher cerca de duas toneladas de resíduos, o mutirão registrou uma redução de cerca de 60% da quantidade de lixo recolhido em relação aos anos anteriores.

Os voluntários percorreram as praias da Ilha Grande e Escapole, além da beira rio no lado do Pará, na cidade de Piçarra, no lado de Araguanã, recolhendo os resíduos deixados por banhistas. Foram retirados da natureza plásticos, garrafas pet, mesas, divisória e muitas sacolas.

“Isso mostra que as pessoas estão mais conscientes. Encontramos as praias limpas, quase sem nenhuma sujeira. O nosso projeto tem mostrado resultado e destacado a importância da preservação ambiental”, ressalta o diretor de Meio Ambiente da ACIARA, William Rezende.

Resultado positivo

De acordo com Laís Amanda, secretária de Turismo de Araguanã, as atividades educativas ajudaram para esse resultado positivo.

“Esse ano melhorou bastante, foi menos lixo recolhido. A realização dos shows na orla também contribuiu para esta diminuição. Fizemos também um cadastro das pessoas que montaram acampamento e isso ajudou a prevenir o lixo despejado na areia”, frisa.

Os voluntários também desmontaram várias barracas de acampamentos deixadas pelos banhistas.

ACIARA e SEBRAE fazem o lançamento da primeira Feira Liquida Tudo Araguaína

A expectativa da Associação Comercial e Industrial de Araguaína é que sejam movimentados cerca de R$ 3 milhões de reais nos três dias de evento

A “Feira Liquida Tudo Araguaína” acontece pela primeira vez na capital econômica do Estado. Em parceria com a ACIARA – Associação Comercial e Industrial de Araguaína, a iniciativa do SEBRAE Tocantins tem como principal objetivo movimentar a economia local, fidelizar o cliente, além de aquecer o mercado com vistas para o fim do ano.

Liquida Tudo Araguaína

A feira acontece no dia 16 de outubro, das 18 às 21 horas, e  de 17 a 19, das 11 às 21 horas, no Atacadão Campelo, localizado na Avenida Filadélfia.

“Todos vão sair ganhando. O consumidor vai conseguir comprar boas mercadorias com preços bem mais acessíveis do que ele encontra na loja, no dia a dia. O comerciante poder fazer um giro de produtos no estoque, para investir em novidades e, sem sombra de dúvidas, a nossa economia vai ganhar uma injeção a mais. A nossa expectativa junto ao Sebrae é que a feira movimente cerca de R$ 3 milhões de reais”, enfatiza Dearley Kuhn, presidente da ACIARA.

Estandes

Serão 50 estandes à disposição do consumidor nos segmentos de calçados, vestuário, moda íntima, óticas, decoração e móveis, além de outros voltados para a alimentação.

Cerca de 60% deles já foram negociados antes mesmo do lançamento oficial da feira, realizado na noite do último dia 24, no auditório da ACIARA.     

Engajamento do comerciante

Durante o lançamento, o gerente regional do Sebrae de Araguaína, Joaquim Quinta, explicou todo o projeto do evento aos participantes e incentivou os lojistas a participarem.

“O comerciante de Araguaína tem buscado novas ferramentas de comercialização e essa feira é uma delas. Embora não tenha nada estipulado, nós esperamos que o empresário traga realmente um preço atraente para o consumidor”, destaca Joaquim Quinta.

Além das vendas, a programação contará com palestras, oficinas e consultorias para as empresas participantes sobre a estratégia para liquidar o estoque, organização e exposição dos produtos e consultoria de vitrinismo.

Percentual de desconto

A comerciante Sueli Santos fechou parceria com a feira e vai montar um estande no segmento de óticas. Ela diz que está ansiosa para as vendas.

“O nosso objetivo é divulgar a nossa marca para que o consumidor saiba que hoje temos um laboratório com o que tem de mais atual em tecnologia em Araguaína. Além de aproveitar a feira para divulgar nossos produtos com preços mais acessíveis e movimentar o nosso estoque, né? Para isso, vou colocar de 20% a 70% de desconto, para realmente chamar atenção do nosso consumidor”, destacou.

Como participar? 

O comerciante que estiver interessado em participar do “Liquida Tudo Araguaína” ou quiser tirar dúvidas, como forma de pagamento, tamanho do estande, entre outros pontos, pode procurar o Sebrae, localizado a Rua 25 de Dezembro, 152, no Centro, com os dados da empresa.

Curiosidades

Quem passar pela feira, além de aproveitar a comercialização dos produtos com preços imperdíveis, vai contar também com um Espaço Kids e a Vila Gastronômica. Durante os três dias, serão feitas apresentações de cantores regionais com música e som ambiente.  O “Liquida Tudo Araguaína” espera receber clientes dos municípios vizinhos e dos estados do Pará e Maranhão. 

Liberação do FGTS deve aquecer as vendas no comércio de Araguaína

A expectativa dos lojistas está também na quitação de débitos com o dinheiro extra

A partir do dia 13 de setembro, a Caixa Econômica Federal começa a liberar o saque imediato de R$ 500,00 de cada conta ativa e inativa do FGTS. A medida foi anunciada pelo Governo Federal com a finalidade de colocar mais dinheiro em circulação no mercado e retomar o crescimento econômico.

Os comerciantes de Araguaína estão com boas expectativas sobre o dinheiro extra na mão dos consumidores. José Alberto de Luna, diretor de SPC da Associação Comercial e Industrial de Araguaína – ACIARA, acredita que a medida vai ajudar a melhorar o movimento no comércio.

“Naturalmente que, havendo mais dinheiro circulando, mais vendas acontecerão no comércio, o que é positivo. Apesar do valor ser modesto, ajudará bastante a nossa economia”, afirma.

Agosto positivo

Os números Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) de agosto de 2019 já dão uma boa prévia de como o consumidor do comércio de Araguaína deve se comportar com o recurso do FGTS. Na comparação com o julho, agosto registrou uma diminuição de 83,53% no número de novos devedores do SPC.

Já em relação a agosto de 2018, também houve queda, dessa vez na ordem de 75,59%.

“Isso significa que as pessoas estão consumindo com mais responsabilidade e consciência. Mesmo comprando a prazo, as parcelas estão sendo pagas em dia, o que evita a negativação do nome do cliente”, acrescenta Alberto.

Outro dado positivo do SPC para Araguaína é sobre a quantidade de pessoas que quitaram suas dívidas e saíram do SPC. Comparando agosto a julho deste ano, houve um aumento de 26,16% no número de pessoas que “limparam” seus nomes e retomaram o crédito na praça.

Oportunidade para quitar as dívidas

Além de fazer compras, tem consumidor que vai aproveitar o dinheiro extra para quitar as dívidas. Uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do SPC Brasil mostra que 53% dos inadimplentes brasileiros possui dívidas que somadas não ultrapassam R$ 1 mil.

“Muitos vivem com um orçamento muito apertado e qualquer imprevisto descontrola as suas contas. Este valor de R$ 500,00 ajuda a quitar uma dívida, ou também é suficiente para iniciar uma renegociação, no caso de uma conta com valor maior”, frisa o diretor da ACIARA.

Comércio confiante

Um dos setores que serão mais beneficiados com a liberação do FGTS é o de vestuário. A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) prevê que, do total de R$ 30 bilhões que deverão ser sacados (R$ 28 bilhões do FGTS e R$ 2 bilhões do PIS/Pasep), pelo menos 11% dos recursos serão injetados neste mercado.

George Henrique, gerente da loja Super Moda, de Araguaína, revela que a empresa já prepara uma campanha para as vendas e negociação de dívidas.

“Estamos focados na liberação do FGTS e esperando o aumento nas vendas em torno de 30%. Esse dinheiro vai ter reflexo no comércio: ou as pessoas compram mais ou elas quitam dívidas. Já fizemos promoções para poder alavancar, acreditamos que terá um aumento significativo”, frisa George.

O empresário Rodrigo Mocó também está confiante para esse período. “Vamos fazer promoções. O aumento nas vendas e quitação de débitos será significativo”, destaca.

Imagem: https://www.jornalcontabil.com.br

“Praia Limpa, Praia Viva” mobiliza crianças para caminhada de conscientização ambiental

A ação foi realizada pelos alunos da rede pública municipal de ensino

Crianças do Centro de Educação Infantil Boanice Botelho Kalil de Araguaína, localizada no Setor Oeste, foram às ruas do bairro para levar um pouco de conscientização sobre a importância da destinação correta do lixo na cidade e nas praias. A ação faz parte da 8ª edição do projeto “Praia Limpa, Praia Viva”, da Associação Comercial e Industrial de Araguaína – ACIARA.

Fantasiados de animais e plantas da fauna e flora do Cerrado, os alunos levaram cartazes com mensagens de responsabilidade ambiental e ainda distribuíram panfletos pela vizinhança.

A diretora executiva da ACIARA, Juliane Carneiro, destaca que uma das características do projeto é investir na educação infantil.

“As crianças têm mais facilidade de aprender e compartilhar essas informações de preservação. Estamos formando os adultos de amanhã. Se as nossas crianças aprenderem a cuidar do meio ambiente agora, não teremos problemas no futuro”.

Visita aos colegas mais velhos

Durante a caminhada, os alunos foram convidados a transmitir suas mensagens para os estudantes do ensino médio do Colégio Rui Barbosa. Algumas salas foram visitadas pelos pequenos e depois todos se reuniram na área comum da escola para receber os ensinamentos.

A diretora do CEI Boanice Botelho, Angelita Lopes da Silva, destacou que a caminhada foi a culminância das ações do projeto Praia Limpa, Praia Viva.

“A gente vem trabalhando várias atividades há alguns dias. As crianças pintaram cartazes, desenhos, fizeram dobraduras. E o mais importante é o que elas entenderam o recado e repassaram para a sociedade”, disse.

Praia Limpa, Praia Viva

O projeto chegou a sua 8° edição em 2019, com foco na promoção da educação ambiental e conscientização das comunidades sobre a importância de preservar os rios Araguaia e Tocantins, antes, durante e depois da temporada de praias. As ações acontecem em parceria com as cidades de Araguaína, Araguanã, Babaçulândia e Piçarra (PA).

Ao final das temporadas de praias, um mutirão de limpeza é feito nas praias participantes. Em 2018, os voluntários recolheram cerca de três toneladas de lixo. Entre os resíduos, foram encontrados vasos sanitários, barris de ferro usados como fossas, geladeiras e materiais que fazem parte das estruturas dos bangalôs.

O projeto ainda conta a parceria ativa do Corpo de Bombeiros, Naturatins, Polícia Militar, Ibama, Batalhão Ambiental da PM, Sebrae e empresários.

Caminhada dos alunos dentro do projeto Praia Limpa, Praia Viva (1) Caminhada dos alunos dentro do projeto Praia Limpa, Praia Viva (6) Caminhada dos alunos dentro do projeto Praia Limpa, Praia Viva (10) Caminhada dos alunos dentro do projeto Praia Limpa, Praia Viva (20)

Maio e junho: meses alavancam o comércio de Araguaína

Dia das Mães, dos Namorados, Expoara e praias contribuem para o otimismo de vários segmentos

Comerciantes de diversos segmentos de negócios em Araguaína estão bastante confiantes com as vendas para os meses de maio e junho. Este é um período que aquece a economia local por causa do Dia das Mães (segunda melhor data para o comércio no ano), Dia dos Namorados, Exposição Agropecuária de Araguaína (Expoara) e início da temporada de praias da região.

O Dia das Mães e dos Namorados neste ano estão sendo trabalhados de maneira inédita pela Associação Comercial e Industrial de Araguaína – ACIARA, que criou a campanha “Meus 2 Amores” para destacar as duas datas no impulsionamento das vendas.

A entidade empresarial araguainense investiu em prêmios diversificados para os consumidores (oito no total) e também para os vendedores das lojas participantes (oito no total), além de inovar no formato dos sorteios: totalmente digital por meio do aplicativo Sorteio ACIARA, criado especificamente para as campanhas da associação.

“Outra novidade foi realizar os oito sorteios em cada uma das lojas patrocinadoras e com transmissão ao vivo por uma rádio parceira e pelas redes sociais. A ideia é gerar movimentação, expectativa e, claro, vendas”, ressalta o diretor da ACIARA, Beto Parente.

Natal fora de época

Um dos ramos que mais comemoram as vendas nesse período é o setor de calçados.

“Esse período de maio e junho só perde mesmo para o Natal. Nesses dois meses, nossas vendas aumentam 15%, na média, comparando com outros meses. As nossas grandes apostas são para o Dia dos Namorados e a Expoara. Essa campanha da ACIARA também está ajudando muito a trazer os clientes para a loja e comprarem, além disso estamos com outros promoções e descontos”, frisou a empresária Elza Ferreira de Rezende, da Simone Calçados.

 O presidente da ACIARA, Dearley Kuhn, reforça que o período é um dos mais esperados pelos comerciantes.

“É um Natal fora de época, porque são quatro datas e períodos fundamentais para nossa economia. Eles movimentam diversos setores, do comércio à prestação de serviço, além de incentivar o empreendedorismo em muitos trabalhadores”.

Expoara

Há 51 anos, a Expoara é considerada uma das maiores feiras agropecuárias do Tocantins. Centenas de expositores trazem o que há de mais moderno para o segmento durante a feira, além dos leilões, rodeios, shows, entre outras atrações.

O presidente do Sindicato Rural de Araguaína, Roberto Paulino, lembra que a Expoara movimenta toda a economia do Tocantins e até de estados vizinhos.

“As vendas no comércio por causa da Expoara representam um dos maiores ganhos, perdendo apenas para o Natal e Dia das Mães. A exposição agropecuária envolve todo o comércio, além de hotéis, bares e restaurantes, entre tantos outro segmentos”, pontua o diretor.

Um dos setores em que mais comemoram o aumento das vendas por causa da Expoara é o de malharias.

“É o verdadeiro Natal para esse setor. As confecções de camisas das comitivas para a cavalgada começam já no final de abril, são mais de 8 mil camisas produzidas em nossa cidade”, pontua Paulino.

Uma das grandes apostas da Expoara é o comércio de veículos e maquinários agrícolas que têm as vendas iniciadas na feira e efetivadas nas concessionárias. O público esperado para a edição de 2019 é de mais de 150 mil pessoas nos 10 dias de evento.

Praias

No Tocantins, a programação das praias em grande parte das cidades tem início na última semana de junho.

Araguaína tem uma localização geográfica privilegiada por estar próxima de dois importantes rios: o Araguaia e Tocantins. São dezenas de praias na região que atraem milhares de turistas de todas as partes do Brasil e tem têm na cidade um ponto de referência.

De acordo com a diretora da ACIARA, Juliana Carneiro, os empresários veem nessa época a oportunidade de impulsionar as vendas.

“O turismo hoje é o maior negócio do mundo e não tem crise. O comércio é muito fortalecido com o turismo. Vale a pena inovar em produtos diferentes. O turista de praia não compra apenas roupa de banho, mas também movimenta o mercado de academias e clínicas de estética, por exemplo”.

Supermercados, lojas de vestuário e calçados, cosméticos, academias, clínicas e outras prestações de serviços são alguns dos segmentos beneficiados com a temporada de praias.

3º Sorteio da Campanha Meus 2 Amores da ACIARA Av. Cônego João Lima, principal via comercial de Araguaína - Ascom Prefeitura de Araguaína Expoara Araguaína - G1 Tocantins

Feirão do Imposto de Araguaína expôs e comercializou produtos sem tributação

A terceira edição da  iniciativa da ACIARA Jovem e Centro Universitário UNITPAC atraiu estudantes do ensino médio, universitários e comunidade

 

Quem visitou o Feirão do Imposto em Araguaína, realizado no último dia 24, se surpreendeu com produtos sendo comercializados sem impostos. Esta foi uma das novidades da terceira edição do projeto, uma realização da ACIARA Jovem (Associação Comercial e Industrial de Araguaína) e Centro Universitário Unitpac, na sede da instituição de ensino.

Entre os produtos vendidos sem tributos estavam as lingeries femininas. Emerson Ferreira, expositor e proprietário da confecção, fez questão de lembrar que o preço da mercadoria oferecida ao consumidor não é criado apenas pelo empresário.

“O produto sem imposto seria a realização de um sonho, porque, no nosso ramo, mais da metade do preço é imposto. Aproveitamos essa oportunidade do Feirão para mostrar isso aos consumidores”.

Um conjunto de lingerie normalmente vendido por R$ 75,00 foi oferecido aos visitantes por R$ 25,00.

Preços inacreditáveis

Outra iniciativa inédita neste ano foi a exibição online do Impostômetro, que mostra, em tempo real, a média de arrecadação de impostos e tributos no Brasil.

No espaço de exposição dos produtos, os visitantes conferiram de perto que uma motocicleta de 160 cilindradas, à venda por R$ 11.380, na realidade custaria R$ 7.909,00 sem os 42,96% de imposto incidente.

Já o gás de cozinha, de R$ 85,00, possui 21,45% de imposto. O preço sem ele seria de R$ 64,68.

“Nosso objetivo foi justamente isso, gerar a reflexão, o questionamento, a relação custo-benefício entre pagar impostos e receber os retornos do poder público”, pontuou Etienne Acácio, diretora da ACIARA Jovem.

E a impressão da estudante do ensino médio, Isadora Silva, de 16 anos, sobre a incidência dos impostos nos produtos, resumiu o sentimento geral dos contribuintes brasileiros.

“Tenho a impressão que estamos sendo lesados. Pagamos muito e recebemos pouco”, frisou.

Paga-se muito, pouco é recebido

A empresária Mariana Barreto, do segmento de utilidades, afirmou que os poderes públicos não oferecem cenários favoráveis para as empresas.

“Pretendemos mostrar junto ao consumidor que nós, empresários, não temos muitos incentivos e acabamos sofrendo isso com o cliente. A falta desse incentivo acaba impossibilitando que possamos praticar um preço mais atrativo”, disse Mariana.

Juliana Piva, professora do curso de Ciências Contábeis e uma das organizadoras do Feirão, lembrou que a conscientização é a melhor forma de mudar esse panorama.

“Queremos fazer com que as pessoas entendam que o Brasil tem uma alta carga tributária e precisamos descobrir para onde esse dinheiro está indo. Só conhecendo o preço e o impacto da carga sobre o preço para podermos ter uma população que pode discutir isso”, disse.