Arquivo de tag Singular Comunicação

UPA de Araguaína registra taxa de 95% na resolução dos atendimentos

O fluxo de pacientes aumentou 43% nos primeiros quatro meses de 2019. E mesmo com os dados positivos, ISAC reconhece necessidade imediata de redução no tempo de espera e atendimento

A Unidade de Pronto Atendimento do Araguaína Sul (UPA 24 horas) vem registrando bons indicadores desde o início do ano. Um levantamento feito pelo Instituto de Saúde e Cidadania (ISAC), que administra a unidade, mostrou que, na comparação entre janeiro e abril, o aumento no volume de atendimento foi de 43%.

A meta de resolutividade estabelecida internamente pelo ISAC para a unidade é de 95% e foi superada em abril. Em janeiro foram 6.705 atendimentos na UPA, entre clínica médica e pediatria, uma média de 216 atendimentos/dia.

Já em abril, esse número passou para 9.585 atendimentos, com uma média de 319,5 atendimentos diários. Nos meses de março e abril, a UPA de Araguaína funcionou acima da capacidade estipulada conforme dimensionamento da unidade, que é de 8 mil atendimentos por mês.

Apesar dos dados positivos, o ISAC reconhece que, devido ao alto número de atendimentos, há uma necessidade imediata de melhora no tempo de espera dos pacientes e também redução no tempo de atendimento total, melhorando os fluxos internos.

“Estamos focados na resolução como um todo. Importante ressaltar que a UPA é uma unidade destinada para urgências e emergências, no entanto, a maioria dos nossos atendimentos são para casos clínicos menos graves”, explica Maria Dulcimary Fonseca, diretora geral das unidades.

Azul e verde

A maioria dos pacientes atendidos no primeiro quadrimestre do ano, 50%, foi classificada na cor verde, seguido da cor amarela com 41%, cor laranja 8%, cor azul com 1% e, por último, pacientes classificados pela cor vermelha, que não chegaram a representar 1%.

O paciente classificado com a cor verde indica que ele não corre risco de morte, podendo aguardar mais tempo para atendimento, dando prioridade para casos amarelos, laranjas ou vermelhos.

Quanto aos pacientes identificados com a pulseira azul, são aqueles que poderiam resolver o problema na rede básica de saúde.

“Os pacientes azuis já foram em maior número, mas há algum tempo estamos fazendo um trabalho de orientação, informação e conscientização, com a coordenação da nossa assistência social, junto a essas pessoas indicando qual o melhor caminho para sanar as situações”, acrescenta a diretora.

Cálculo

A taxa de resolutividade apresentada pelo instituto é calculada da seguinte forma: número de atendimentos totais, menos as transferências e menos os óbitos. O valor é dividido pelo número de atendimentos totais e multiplicado por 100.

“Após as mudanças implementadas na UPA desde o início do ano, estabelecemos a meta dos 95%, mas ela pode e deve ser alterada para mais, ou seja, o ideal é chegarmos acima de 98%”, explica Vinícius Menezes, gerente de qualidade do ISAC.

Hospital Municipal de Araguaína ganha materiais didáticos de ligas acadêmicas

Os alunos fizeram uma doação de cadernos, lápis de cor, giz de cera, entre outros, que serão usados nas atividades com os pacientes na brinquedoteca

 

Acadêmicos da Liga Universitária de Psicologia Aplicada se uniram aos alunos do curso de Direito e Gestão Hospitalar, integrantes da Liga Universitária da Solidariedade da Faculdade Católica Dom Orione, e arrecadaram materiais didáticos que foram doados para a brinquedoteca do Hospital Municipal de Araguaína – HMA.

Com quatro dias de campanha, os alunos conseguiram borrachas, quebra-cabeças, cadernos de desenho, canetas coloridas, lápis de cor, giz de cera, lápis de escrever e apontadores. Todo o material foi entregue pelos alunos ao HMA no último dia 16.

Bom para todos

Para a acadêmica Maria Victória Carvalho, participante do projeto, a iniciativa foi de grande importância também para uma interação maior entre alunos e professores.

“Nós sabemos que o hospital não recebe apenas pacientes de Araguaína, por ser referência na região, e nós imaginamos a grande demanda que ele tem todos os dias. Então as duas ligas se juntaram e resolvemos tomar essa iniciativa de arrecadar esses materiais. A idéia é fazer o bem aos pequenos, que já estão muito sensíveis no ambiente hospitalar, além de promover uma maior interação entre as ligas com projetos como esses”, afirma a acadêmica.

Tornar a internação mais leve

Cerca de 25 alunos participaram do projeto. Eles foram divididos em grupos e, na oportunidade, conheceram mais sobre algumas áreas do hospital. O primeiro local mostrado para eles foi a brinquedoteca, onde o material foi deixado.

Contente, a analista do Núcleo de Educação Permanente em Saúde do ISAC, Síntia Barros, agradeceu a iniciativa dos alunos.

“Estamos muito felizes com esse gesto de  amor e solidariedade. O  HMA busca  proporcionar aos pacientes que a experiência na internação seja o mais agradável possível e o colorir contribui muito  neste aspecto. Todo o material recebido será utilizado nas atividades lúdico-pedagógicas”, finalizou Síntia.

 

 

 

ACIARA pede apoio à senadora Kátia Abreu para agilizar novas operações no aeroporto de Araguaína

A entidade está em busca de um equipamento disponível no aeroporto de Brasília que possibilita o pouso e decolagem de aeronaves maiores na cidade

Uma comitiva formada por empresários e diretores da ACIARA – Associação Comercial e Industrial de Araguaína foi até a capital Palmas, durante a Agrotins, para se reunir a senadora Kátia Abreu e o deputado federal Thiago Dimas.

Na pauta estavam as melhorias operacionais para o aeroporto de Araguaína. Os diretores da ACIARA entregaram à senadora Kátia Abreu um ofício para que a parlamentar interceda junto à administração do aeroporto de Brasília para disponibilizar temporariamente o equipamento ILS (Sistema de Aterrissagem por Instrumentos) até que um novo seja adquirido pelo poder público municipal.

“A luta da ACIARA para a reforma do aeroporto de Araguaína é antiga. Já promovemos várias reuniões com empresários e autoridades políticas para viabilizarmos uma solução. A cidade sofre por causa da falta de opções de voos para grandes centros do Brasil”, explica o presidente da ACIARA, Dearley Kuhn.

Atualmente, apenas a Passaredo opera regularmente no aeroporto com dois voos diários na rota Araguaína – Palmas – Goiânia – Ribeirão Preto – Guarulhos.

A senadora Kátia Abreu destacou que um aeroporto estruturado é fundamental para otimizar a logística da cidade.

“Uma grande cidade como Araguaína sem o aeroporto aquecido pode travar a economia. Uma cidade empreendedora precisa ter um bom aeroporto. Vou checar junto à Infraero e as companhias aéreas para verificar os problemas do aeroporto. A bancada tocantinense está pronta para ajudar. Eu estarei imbuída para fazer com que o aeroporto seja de intensa movimentação”, disse a senadora.

ILS

O equipamento vai permitir a operação de voos em condições climáticas adversas, como em chuvas e temporais, e o pouso de aeronaves maiores. Atualmente, o aeroporto de Araguaína opera apenas visualmente. O aeroporto de Carolina (MA), cidade com cerca de 24 mil habitantes, já conta com esse equipamento.

O ILS custa cerca de R$ 2 milhões, mas até o momento não foi comprado, apesar do recurso ter sido autorizado pelo Ministério dos Transportes em dezembro de 2017. Além da implantação do equipamento ILS, a reforma do aeroporto prevê melhorias na pista, pátio de aeronaves, ampliação do terminal de passageiros, estacionamento para veículos, entre outros benefícios.

Movimento

Em 2015, três companhias aéreas chegaram a operar no aeroporto da cidade. A falta desse equipamento que auxilia os pousos é o principal motivo que atrapalha a vinda de novas companhias. A Azul Linhas Aéreas já anunciou que tem interesse em retornar a Araguaína, mas somente após a implantação do ILS.

O aeroporto de Araguaína vem registrando queda no número de passageiros ao longo dos anos. De acordo com dados da Secretaria Nacional de Aviação Civil, em 2015, o aeroporto registrou o movimento de 88.225 passageiros, já em 2016 foram 47.468 passageiros; em 2017 foram 33.265 e em 2018 foram 33.259.

EPOCA Fórum

 Outra solicitação da ACIARA à senadora foi apoio para a realização de mais uma edição da EPOCA Fórum, evento que promove um ciclo de palestras com profissionais de referência nacional para compartilhar novos conhecimentos de economia e mercado com os empresários da cidade.

“A senadora também sinalizou positivamente para este apoio e já estamos em conversa com o Sebrae para iniciar o planejamento”, pontua a diretora executiva da ACIARA, Antônia Lopes Gonçalves.

Hospital Municipal de Araguaína realiza a primeira cirurgia de fissura labiopalatina

O procedimento foi feito em uma criança internada na UTI Pediátrica. As fissuras são as más formações congênitas mais comuns que afetam a face

 

O Hospital Municipal de Araguaína (HMA) realizou a primeira cirurgia de fissura labiopalatina, uma má formação que pode ocorrer isoladamente ou como parte de um problema ou síndrome genética. O sinal mais característico é a abertura na boca, que resulta em dificuldade para falar e comer.

O procedimento foi feito em uma criança de um ano e nove meses, que estava internada na UTI Pediátrica da unidade no mês de abril.

A chegada de um bebê com fissura provoca um choque e angústia nos pais e familiares. O dentista Dr.Rufino Klug, especialista em cirurgia bucomaxilofacial e que coordenou a cirurgia, destaca que o processo foi um sucesso.

“A paciente é portadora de microcefalia e veio para Araguaína para ficar na UTI Pediátrica por causa de uma pneumonia. O quadro clínico dela exigiu um cuidado redobrado de toda a equipe multiprofissional do HMA. A cirurgia ocorreu tudo como esperado e, no futuro, a criança vai precisar de uma nova cirurgia para fazer pequenos retoques”, afirmou.

De acordo com o Hospital de Reabilitação de Anomalias da Universidade de São Paulo (USP), referência internacional em tratamento e pesquisa da anomalia, a incidência pode variar de acordo com a população estudada, mas, de forma geral, a fissura atinge uma a cada 650 crianças nascidas.

Referência regional

O diretor técnico do HMA, Luiz Flávio Quinta, ressaltou que, com essa cirurgia, a unidade vai se consolidando ainda mais no atendimento infantil no Estado.

“Foi a primeira cirurgia no HMA pelo Centro de Reabilitação e Anomalias do Tocantins. Uma equipe de médicos, dentistas e outros profissionais capacitados estiveram envolvidos nesse procedimento”, disse.

Causas da anomalia

As causas da fissura labiopalatina ainda não são totalmente esclarecidas. Pode ter origem genética e pode estar associada ou não a outras anomalias. Existe ainda relação a fatores como obesidade e deficiência de vitaminas na mãe, excesso à radiação, uso de determinados medicamentos, cigarro e álcool no início da gestação.

O tratamento é multidisciplinar, incluindo cirurgia para fechamento das fissuras e terapias fonoaudiológicas, odontológicas e psicológicas, principalmente. As cirurgias iniciam ao redor dos 3 meses (lábio) e 9 meses (palato) e quanto mais cedo forem executadas, melhor.

 

Feirão do Imposto em Araguaína terá venda de produtos sem tributos e muita conscientização

O tradicional evento faz parte de uma mobilização nacional e acontece dia 24 de maio, no UNITPAC

As rotinas do dia a dia muitas vezes impedem que a maioria dos brasileiros percebam a quantidade impostos que incidem em produtos e serviços que são consumidos diariamente.

E é justamente por isso que entidades e organização nacionais e regionais pretendem mostrar aos “contribuintes” brasileiros os exageros dos poderes públicos quando o assunto são tributos e impostos.

No próximo dia 24 de maio (sexta-feira), das 19 às 22 horas, no Centro Universitário UNITPAC, Araguaína receberá mais uma edição do Feirão do Imposto, uma iniciativa da ACIARA Jovem (Associação Comercial e Industrial de Araguaína) e o curso de Ciências Contábeis do UNITPAC, com apoio da Confederação Nacional de Jovens Empresários – Conaje

A diretora da ACIARA Jovem, Etienne Acácio, lembra que o cidadão precisa aprender a estabelecer a relação entre imposto pago e retorno dos serviços públicos.

“Em todos os produtos têm o imposto embutido no preço. A população paga imposto, mas nem sempre vê esse valor aplicado em serviços públicos. O Feirão pretende mostrar que o nosso país é um dos que mais cobram impostos no mundo e uns do que menos devolvem em investimentos”, pontua.

Novidade

Na edição deste ano, o Feirão de Araguaína vai reunir lojas dispostas a vender produtos sem impostos, como forma de demonstrar o custo de vida do brasileiro. O evento também promoverá palestras e irá expor um impostômetro mostrando a arrecadação de impostos local.

“A proposta é mostrar para os contribuintes a real porcentagem de tributos aplicada em cada produto e abrir espaço para debater a eficiência na gestão dos recursos públicos. O foco do Feirão do Imposto não é lutar para o fim dos tributos, mas lutar por uma carga justa e exigir o retorno”, afirma Juliana Piva, coordenadora do Núcleo de Prática Contábil do UNITPAC e professora do curso.

 

Mobilização nacional

O Feirão do Imposto acontece em várias cidades do Brasil, realizando ações que promovem conhecimento por parte da população sobre impostos, além de incentivar a luta pelo retorno e emprego do dinheiro público.

De acordo com o Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo, a população de Araguaína já pagou quase R$ 31 milhões em impostos só de janeiro a abril deste ano. Durante todo o ano de 2018, foram cerca de R$ 82 milhões. A previsão é que os araguainenses paguem, até o fim de 2019, cerca de R$ 89 milhões em tributos.

Produtos campeões

Segundo um levantamento do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), os impostos podem representar até mais de 80% do preço de um produto. Alguns produtos são os campeões de impostos, como a gasolina (56,09%), carne bovina (23,99%), conta de luz (48,28%), diesel (42,23%), gás de cozinha (34,04%), entre outros.

Lesões na boca por causa da quimioterapia já têm solução

A Laserterapia ajuda a amenizar as feridas que acometem mais de 80% dos pacientes, entre outros problema bucais, como aftas, dores na mandíbula e herpes

A quimioterapia é dos tratamentos mais comuns para combater diversos tipos de câncer. As medicações são fortes e por vezes agressivas, trazendo alguns efeitos colaterais para os pacientes.

Mais de 80% deles apresentam problemas nos dentes e gengiva, mucosa bucal e nas glândulas salivares. As dores prejudicam a mastigação e a alimentação de forma geral, impactando ainda mais a saúde de quem está precisando se fortalecer.

Mas o avanço tecnológico na Odontologia já oferece uma solução para o problema: a laserterapia. A dentista onco-hematológica da Acreditar Tocantins, Dra. Anita Luiza, explica que o método tem efeito de cicatrização, anti-inflamatório e analgésico.

“O procedimento auxilia principalmente na produção de anticorpos no pacientes, proporcionando outros benefícios, como o aumento no colágeno e elastinas, responsáveis pela cicatrização. Mas tudo isso tem que estar associado a uma boa higienização bucal”, pontua.

Mais qualidade de vida

Há cinco meses, a aposentada Maria Dias Wanderley, de 62 anos, faz o procedimento de quimioterapia após ter sido diagnosticada com câncer no pâncreas. Ela afirma que, após começar o processo de laserterapia, as consequências do tratamento foram bem menores.

“Eu senti diferença na primeira sessão. Quando eu fiz o procedimento de quimioterapia, eu senti minha boca pipocar toda, cheguei ao ponto de não conseguir comer. Após fazer a primeira sessão de laserterapia, eu senti melhorar em até 90%. Hoje, consigo até comer abacaxi,” comemora a dona de casa.

 

Mais benefícios

A laserterapia também é bastante eficiente para tirar a sensibilidade dos dentes, tratar dores na articulação quando abre e fecha a boca (mandíbula) e trata pacientes que aparecem com as vesículas de herpes quando a imunidade está baixa. O procedimento ajuda ainda no controle da glicemia para diabéticos com o auxílio do ILIB

O método tem sido muito indicado como ferramenta terapêutica complementar no tratamento de lesões em geral, pois ele acelera a cicatrização de feridas crônicas vasculares, diabéticas e úlceras por pressão.

Aftas, aparelhos e prótese

Feridas causadas por aparelhos ortodônticos e prótese dentárias, por terem peças de metal, são muito comuns. A laserterapia é uma opção de tratamento bastante válida.

A afta, que é considerada uma das lesões mais comuns entre os brasileiros, de acordo com a Universidade de São Paulo, também pode ser tratada com laserterapia, pois contribui para o aceleramento da cicatrização.

“Ela faz com que o paciente sinta o efeito análgesico, tirando aquele incômodo que a afta causa e induz a cicatrização mais rápida. Com a indução do laser, a cicatrização é mais rápida do que com pomadas”, destaca a dentista.

Imagem: Ilustrativa (Divulgação da internet)

Cadastro Positivo pode reduzir em até 45% a inadimplência no comércio

O sistema beneficia consumidores que pagam as contas em dia e pretende promover o crescimento sustentável do mercado de crédito.

 

Dentro de seis meses, o Cadastro Positivo passará a funcionar no mercado de crédito brasileiro. O projeto foi sancionado pelo Governo Federal e tem a intenção de beneficiar consumidores que pagam suas contas sem atraso. No entanto, a participação é voluntária.

A expectativa é que o Cadastro Positivo injete R$ 1,3 trilhão na economia do país, segundo estudos dos serviços de proteção ao crédito. Além disso, o cadastro pode incluir mais de 22 milhões de pessoas que estão fora do mercado.

Com funciona?

O sistema é a forma de saber o comportamento financeiro do consumidor e promover o crescimento sustentável do sistema de crédito brasileiro.

O consumidor autoriza a abertura do cadastro e suas contas pagas começam a ser registradas nele, gerando um histórico de bom pagador. Com isso ele tem mais facilidade para obter melhores taxas e enfrenta menos burocracias no momento de contratar o crédito.

Mercado

A pesquisa estima ainda um aumento de aproximadamente 20% na relação entre estoque de crédito e PIB. A taxa sairia dos atuais 47,4% para 67%.

Para o diretor de SPC da Associação Comercial e Industrial de Araguaína – ACIARA, José Alberto de Luna, o Cadastro Positivo deve mudar a cultura de consumo no país.

“O cadastro é bom para os dois lados, tanto para a empresa, como para o consumidor. Ele vai ajudar também no pagamento de contas contínuas, como de luz, água, telefone e gás. Já do lado da empresa, ela vai ter mais confiança na hora de vender e isso vai movimentar ainda mais o mercado de Araguaína e região”, destaca.

Desafio

Segundo a Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC), o cadastro positivo pode reduzir em até 45% a inadimplência, que, no Brasil, atinge cerca de 60 milhões de pessoas.

O diretor da ACIARA destaca que, mesmo com todos os benefícios do sistema, ainda existem alguns desafios quando se fala em Cadastro Positivo.

“O principal desafio é a questão operacional, porque muita gente não conhece e ainda existem algumas deficiências técnicas que precisam ser resolvidas para uma maior abrangência dessas informações. Então ainda é preciso ser feito um trabalho informativo com o consumidor e um treinamento com as empresas”, conclui Alberto Luna.

 

Imagem: https://www.b2egroup.com.br

Acompanhantes da UTI Pediátrica participam de projeto de geração de renda

A ideia é aproveitar o tempo dentro do hospital para aprender atividades que permitam uma nova oportunidade de negócio no futuro

 Pais e acompanhantes de pacientes da UTI Pediátrica do Hospital Municipal de Araguaína começaram a participar de um projeto que tem como meta possibilitar a geração de renda a mais para as famílias.

A parceria entre o Instituto Saúde e Cidadania – ISAC, responsável pela gestão da unidade, com o Centro de Geração de Renda da Secretaria Municipal da Assistência Social, Trabalho e Habitação prevê que os acompanhantes usem o tempo dentro do hospital para produzir tapetes, crochês, artesanatos, entre outros artigos.

A iniciativa faz parte do projeto Interação no Conforto dos Pais na UTI Pediátrica, criada no início deste ano.

A dona de casa Eva Cleiba, que está com a filha internada na UTI, é moradora de Conceição do Tocantins e gostou da iniciativa. Ela disse que pretende continuar fazendo os tapetes quando voltar para casa para completar a renda familiar.

“É um meio da gente se distrair e faturar um rendimento a mais. Estou gostando muito de fazer tapetes, antes eu não sabia fazer essas peças”.

A fisioterapeuta do HMA e uma das voluntárias do projeto, Maria Martha, explica que a ação já tem grande adesão entre os acompanhantes, mesmo sendo voluntária.

“O projeto foi iniciado no mês de março e foi pensado para acompanhantes da UTI Pediátrica terem uma forma de distração e sair desse processo de angústia. Já foram realizadas várias atividades com psicóloga, nutricionista, fonoaudiólogo e outras dinâmicas para que eles saiam dessa rotina rigorosa de um hospital”, afirmou.

A cozinheira Maria Alves Fonseca, que acompanha o neto na UTI, disse que o projeto está possibilitando o aprendizado de uma nova atividade.

“Quando eu fiquei sabendo, fiquei curiosa em participar. É importante fazer essas atividades, pois teremos uma renda e será uma forma de aproveitar o tempo que estamos no hospital”.

A cozinheira Maria Alves Fonesca, que acompanha o neto na UTI, disse que o projeto possibilitou o aprendizado de muitas atividades. Acompanhantes da UTI Pediátrica participam de projeto de geração de renda (1) Acompanhantes da UTI Pediátrica participam de projeto de geração de renda (2) Acompanhantes da UTI Pediátrica participam de projeto de geração de renda (4)

ACIARA volta a cobrar adequação do aeroporto e novos voos para Araguaína

Na próxima quinta-feira, 11, empresários de Araguaína irão para Palmas participar da assinatura do TARE entre Governo e a companhia aérea Azul

Diante do anúncio recente da companhia aérea Passaredo em disponibilizar mais uma rota ligando Araguaína à São Paulo, desta vez noturno, a Associação Comercial e Industrial de Araguaína – ACIARA voltou a reivindicar a adequação do aeroporto para receber aeronaves maiores e novos voos para a cidade.

No último dia 8, diretores da ACIARA se reuniram com o  secretário de Desenvolvimento Econômico do Município, Júnior Marzola, com o deputado federal Thiago Dimas e o representante do senador Eduardo Gomes, Paulo Gomes, para discutir assuntos pendentes sobre a reforma de ampliação do aeroporto de Araguaína.

“Esta sempre foi uma bandeira da ACIARA, porque é muito clara a relação entre o crescimento da cidade e uma porta de entrada facilitada, como o aeroporto. Araguaína já perdeu muitos investimentos por causa dessa baixa oferta de voos. E nossos empresários também precisam viajar para buscar novos investimentos fora do Estado”, explicou o presidente da ACIARA, Dearley Kuhn.

Novo voo

Na última semana, a Passaredo Linhas Aéreas solicitou à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) a autorização para um novo voo diário ligando Guarulhos-SP à Araguaína, com escalas em Ribeirão Preto- SP, Goiânia-GO e Palmas- TO. A novidade é que o voo será à noite e assim Araguaína deixaria de receber apenas um voo por dia. A última vez que isso aconteceu foi no ano de 2015.

Redução no ICMS

O governador do Tocantins, Mauro Carlesse, sancionou a Lei nº 3.439, que prevê a redução da base de cálculo do ICMS no querosene de aviação. A alíquota, que era de 14%, passa a ser reduzida de forma progressiva até 3%, conforme os investimentos das empresas aéreas na aviação comercial dentro do Estado.

Com a notícia da redução na reunião, o deputado federal Thiago Dimas entrou em contato com uma executiva da companhia aérea Azul para verificar o que é preciso para voltar a operar em Araguaína.

“A nossa expectativa é que, além de um novo voo, uma nova companhia venha para a cidade. Eu fiz esse contato prévio com a companhia Azul e espero que ainda nesta semana eles possam nos dar uma resposta. Queremos aproveitar essa contrapartida da redução nos impostos no Estado para que seja implantada em Araguaína uma rota para outros destinos. Essa é uma necessidade dos empresários e também do município”, pontuou o deputado.

Reunião em Palmas

Segundo a Agência de Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa do Tocantins (Adetuc), na próxima quinta-feira, 11, às 14 horas, o governador Mauro Carlesse irá receber a diretoria da companhia Azul para a assinatura do Termo de Acordo de Regimento Especial (Tare), dando a concessão do benefício fiscal. A ACIARA pretende enviar uma comitiva de cerca de 30 empresários para acompanhar a assinatura e reivindicar novas rotas para a Araguaína.

Reajustes Feitos

Conforme informado pela executiva da Azul, para que o aeroporto de Araguaína possa receber aeronaves maiores (jatos da Embraer), ele precisa ser classificado na Categoria 3C – ISL.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Júnior Marzola, afirma que todos os reparos que estavam pendentes para a ampliação e reforma do aeroporto de Araguaína foram feitos. Segundo ele, o projeto será entregue à (ANAC) por meio da Secretaria de Aviação Civil (SAC).

“O primeiro questionamento dos empresários na reunião foi sobre como está o projeto para ampliação do nosso aeroporto. O projeto foi apresentado, tinham três situações que foram revistas e já foram solucionados. O terminal será reformado e a principal mudança será na parte tecnológica. O aeroporto passará a operar de voo visual para voo de instrumento, dando mais segurança aos passageiros”, finalizou Júnior Marzola.

 

 

 

Exposição excessiva às telas é prejudicial ao sono das crianças

A luz azul que sai de TVs, smartphones e tablets afetam a produção de melatonina, o hormônio do sono

 

A modernidade tem suas vantagens e desvantagens, principalmente para quem tem filhos pequenos. O acesso a smartphones, tablets e TVs acontece cada vez mais cedo, às vezes parece até inevitável, mas o que a princípio aparenta ser normal, pode desencadear situações ruins.

O uso excessivo dessas telas é prejudicial à saúde as crianças, principalmente em relação ao sono.

Isso acontece porque a exposição à luz antes de dormir impacta a produção de um hormônio essencial para o sono, conforme explica o médico otorrinolaringologista, Daniel Nunes.

“As telas de smartphones e tablets emitem luzes azuis que suprimem a produção de melatonina, também conhecido como hormônio do sono”, disse.

A retina humana é muito sensível a luz, principalmente as azuis, mas, nas crianças, essa sensibilidade é ainda maior.

“Essa exposição frequente também pode estimular o comportamento violento ou agressivo, aumentar a ansiedade e causar transtorno de sono ou de alimentação”, destaca Dr. Daniel.

Limites

É preciso colocar limites no uso de smartphones, tablets e na exposição às TVs. Entre dois a cinco anos de idade, o ideal é que o acesso não ultrapasse uma hora diária.

Mas esse tempo de uso não deve acontecer todo de uma só vez, mas, sim, dividido durante todo o dia com intervalos.

“O ideal é que a criança pare de usar os aparelhos pelo menos duas horas antes de dormir para não afetar a qualidade do sono”, finaliza o otorrino.

Imagem: https://ptjornal.com